Metodologias Ativas e Mídias do Conhecimento no contexto educacional

  • Camila Menegali Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: educação, metodologias ativas, mídias do conhecimento

Resumo

Considerando as drásticas mudanças no campo socioeconômico e cultural, que, aliadas ao
crescente avanço tecnológico, proporcionaram o fenômeno que chamamos de Era da Informação,
tornam-se urgentes que nossos sistemas educacionais caminhem na mesma direção, a fim de que se
adaptem para esse novo modelo de sociedade. Tendo em vista esse contexto, este artigo se propõe a
apresentar as Metodologias Ativas e as Mídias do Conhecimento como alternativas para essa devida
transformação no contexto educacional. A primeira transfere o aluno para o papel de protagonista de seu
próprio processo de aquisição do conhecimento, apresentando formas de motivar o aluno através da
teoria da autodeterminação; a segunda disponibiliza tecnologias que revolucionam o processo de
ensino-aprendizagem, dando acesso aos instrumentos culturais de seu tempo ao aluno, otimizando os
estudos e apresentando soluções a possíveis problemas encontrados durante o processo de aquisição de
conhecimento.

Referências

ALMEIDA, Bianconcini de. Tecnologias na Educação: dos caminhos trilhados aos atuais
desafios. In: Boletim de Educação Matemática. Rio Claro, p.99-119, 2008.
BARBOSA, Rafaela Elaine. Jogando para transitar seguro: Uma experiência de educação
para o trânsito. 2015. 159 p. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia e Gestão do
Conhecimento, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.
BENS, Márcio Luiz. Diretrizes para o desenvolvimento de ambientes virtuais de
aprendizagem colaborativos voltados para a produção e elaboração de projetos de
aprendizagem em arte-educação. 2011. 165 p. Dissertação (Mestrado) - Curso de Design e
Expressão Gráfica, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.
BERBEL, Neusi Aparecida Navas. A problematização e a aprendizagem baseada em
problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? In: Interface-Comunicação, Saúde,
Educação. v. 2, p. 139-154, 1998.
BERBEL, Neusi Aparecida Navas. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de
estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas. [s.l.], p.25-40, 2011.
BORDENAVE, J.; PEREIRA, A. Estratégias de ensino aprendizagem. 4. ed. Petrópolis:
Vozes, 1982.
DE SOUZA, Pricila Rodrigues; DE ANDRADE, Maria do Carmo Ferreira. Modelos de
rotação do ensino híbrido: estações de trabalho e sala de aula invertida. Revista E-Tech:
Tecnologias para Competitividade Industrial-ISSN-1983-1838. v. 9, n. 1, p. 03-16, 2016.
DIAS, Diego Roberto Colombo et al. Chemcave3d: Sistema de visualização imersivo e
interativo de moléculas 3d. In: Workshop de Re
DOMINGOS, Adenil Alfeu; DOMINGUES, A. S. O. L.; BISPO, Kátia Santana. Storytelling
midiático: a arte de narrar a vida como ferramenta para a educação. VI Colóquio
Internacional “Educação e Contemporaneidade”. São Cristóvão–CE. v. 20, 2012.
Dora a Aventureira: por que nossos filhos gostam tanto? Sou mamãe, 2019. Disponível em:
. Acesso
em: 05 abr. 2019.
ELÉA, Ilana et al. Agentes e vozes: Um panorama da mídia-educação no Brasil, Portugal e
Espanha. Götemborg: Nordicom, 2014. 296 p.
EMEF Desembargador Amorim Lima. Amorim Lima, c2019. Página inicial. Disponível em:
. Acesso em: 05 de abr. de 2019.
ERIC MAZUR recebe prêmio internacional pela criação de método aplicado no UNISAL.
Unisal, 2014. Disponível em:
licado-no-unisal/>. Acesso em: 05 abr. 2019.
FERREIRA, Carla Fernanda. Youtube, c2014. Disponível em:
. Acesso em: 05 abr. 2019.
FERREIRA, Paula. Só um em cada dez alunos está satisfeito com aulas e material escolar.
2016. Disponível em:
-aulas-material-escolar-20155211>. Acesso em 13 de outubro de 2018.
FRAGOSO, Suely. Imersão em games narrativos. Galáxia. n. 28, 2014.
GADOTTI, Moacir. Perspectivas atuais da educação. São Paulo em Perspectiva. [s.l.],
p.03-11, 2000.
GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.
GNECCO, Bruno Barberi et al. Um sistema de visualização imersivo e interativo de apoio ao
ensino de classificação de imagens. SVR 2001, p. 291-301, 2001.
Google. For Education, 2019. Expeditions. Disponível em:
. Acesso
em: 05 abr. 2019.
GUIMARÃES, Sueli Edi Rufini. Avaliação do estilo motivacional do professor: adaptação e
validação de um instrumento. 2003. 188 p. Tese (doutorado) - Programa de Pós-Graduação em
Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.
HABERMAN, Mrs. My Flipped Classroom Experience, 2012. Disponível em:
. Acesso em: 05 abr. 2019.
HARARI, Yuval Noah. Sapiens: Uma breve história da humanidade, 34ª. ed., Porto Alegre:
L&P, p.34, 2018.
KAPP, Karl. The Gamification of Learning and Instruction: Game-based Methods and
Strategies for Training and Education. Pfeiffer, 2012.
KERCHER GREIS, Luciano; REATEGUI, Eliseo; IWASZKO MARQUES, Tania Beatriz.
Um simulador de fenômenos físicos para mundos virtuais. RELATEC, 2013.
LEE, Joey J.; HAMMER, Jessica. Gamification in Education: What, How, Why Bother?
Academic Exchange Quarterly. 2011.
LEITE, Bruno. Aprendizagem tecnológica ativa. Revista Internacional de Educação
Superior, Campinas, p.580-609, 2018.
MITRE, Sandra Minardi et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação
profissional em saúde: debates atuais. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro,
p.2133-2144, 2007.
MORAN, José. Desafios na Comunicação Pessoal. São Paulo: Paulinas, 2007. 248p.
MORAN, José. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. Metodologias
ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre:
Penso, p. 02-25, 2018.
MORAN, Jose. Mudando a educação com metodologias ativas. Convergências Midiáticas,
Educação e Cidadania: aproximações jovens, Ponta Grossa, p.15-33, 2015.
OLIVEIRA, Marlene Gonçalves; PONTES, Letícia. Metodologia ativa no processo de
aprendizado do conceito de cuidar: um relato de experiência. In: X Congresso Nacional de
Educação – EDUCERE, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2011.
RAMOS, T. L.; SOUSA, R. P.; ALVES, J. B. Sistemas de B-learning e sua aplicação no
processo de ensino e aprendizagem.
RIBEIRO, Elvia Nunes; MENDONÇA, GA de A.; MENDONÇA, Alzino Furtado. A
importância dos ambientes virtuais de aprendizagem na busca de novos domínios da EAD. In:
Anais do 13º Congresso Internacional de Educação a Distância. Curitiba, Brasil. 2007.
SANTANA, Ana Elisa. José Francisco de Almeida Pacheco, idealizador da Escola da Ponte.
Biblioo, 2016. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2019.
SANTOS, Yasmin. MAS SERÁ O BENEDITO? O cronista dos negros no Twitter
Piauí, 2018. Disponível em: .
Acesso em: 05 abr. 2019.
SCHMID, Beat; STANOEVSKA-SLABEVA, Katarina. Knowledge Media: An Innovative
Concept and Technology for Knowledge Management in the Information Age. In: Beyond
Convergence, Biennal International Telecommunications Society Conference, 12, 1998,
Stockholm, Sweden.
Universidade abole disciplinas em prol de projetos. Por Vir, 2014. Disponível em:
. Acesso em:
05 abr. 2019.
University of Colorado. PhET: Interactive Simulations, 2019. Página inicial. Disponível em:
. Acesso em: 05 abr. 2019.
VALENTE, José Armando. A comunicação e a educação baseada no uso das tecnologias
digitais de informação e comunicação. UNIFESO-Humanas e Sociais, v. 1, n. 01, p. 141-166,
2014.
VARELLA, Péricles Gomes et al. Aprendizagem colaborativa em ambientes virtuais de
aprendizagem: a experiência inédita da PUCPR. Revista Diálogo Educacional, v. 3, n. 6, p.
11-27, 2002.
VASCONCELLOS, M.M. M.; BERBEL, N. A. N.; OLIVEIRA, C. C. Formação de
professores: o desafio de integrar estágio com ensino e pesquisa na graduação. Revista
Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 90, n. 226, p. 609-623, 2009.
Publicado
2019-08-16