Mapeamento do Uso de Analítica da Aprendizagem como Suporte à Avaliação Formativa

Palavras-chave: Learning Analytics, Avaliação Formativa, Revisão Sistemática da Literatura

Resumo

A analítica da aprendizagem compreende a medição, coleta, análise e relato de dados sobre os alunos e seus contextos, com o objetivo de compreender e otimizar o aprendizado e os ambientes em que ele ocorre. Seu uso permite a professores, alunos, gestores e pesquisadores compreenderem melhor o perfil dos estudantes, como se dá o processo de aprendizagem e seus resultados. A avaliação é um dos instrumentos utilizados neste contexto, e tem como funções centrais diagnosticar, controlar e classificar. Relacionadas a essas três funções, existem três modalidades de avaliação: diagnóstica, somativa e formativa. Esta última se preocupa em coletar dados para reorientação do processo de ensino e aprendizagem, apontando suas fragilidades, permitindo alterações necessárias durante o curso do período letivo. Neste contexto, este trabalho tem por objetivo analisar os cenários de aplicação de técnicas de analítica da aprendizagem como insumo para avaliação formativa dos processos de ensino e aprendizagem. Para tanto, foi realizada uma revisão sistemática da literatura que levantou diferentes técnicas de analítica da aprendizagem e mineração de dados educacionais e técnicas e métricas utilizadas para auxiliar a avaliação formativa, além de cenários onde estas técnicas podem ser aplicadas. A partir do estudo realizado, foi possível constatar que por mais que hajam técnicas avançadas para analítica sendo aplicadas no contexto educacional, a área carece de pesquisas com foco em avaliação formativa.

Referências

ALJOHANI, N. R.; DAVIS, H. C. Learning analytics and formative assessment to provide immediate detailed feedback using a student centered mobile dashboard. 2013, [S.l: s.n.], 2013. p. 262–267.
AVRAMIDES, K. et al. A method for teacher inquiry in cross-curricular projects: Lessons from a case study. British Journal of Educational Technology, v. 46, n. 2, p. 249–264, 2015.
BECKER, S. A. et al. NMC Horizon Report: 2018 Higher Education Edition. . Louisville: [s.n.], 2018. Disponível em: . Acesso em: 13 nov. 2018.
BRASIL. Lei no 9394, de 20 de dezembro de 1994. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2018.
CHATTI, M. A. et al. A reference model for learning analytics. International Journal of Technology Enhanced Learning, v. 4, n. 5/6, p. 318, 2012. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2018.
CHUEIRI, M. S. F. Concepções sobre a Avaliação Escolar. Estudos em Avaliação Educacional, v. 19, n. 39, p. 49–64, 2008. Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2018.
COOPER, A. JISC CETIS Analytics Series Vol.1 No.5.: What is Analytics? . [S.l: s.n.], 2012. Disponível em: . Acesso em: 13 nov. 2018.
CORTESÃO, L. Formas de ensinar, formas de avaliar: breve análise de práticas correntes de avaliação. In: ABRANTES, P.; ARAÚJO, F. (Org.). . Reorganização Curric. do ensino básico avaliação das Aprendiz. das concepções às novas práticas. Lisboa: MInistério da Educação, 2002. p. 35–42. Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2018.
DAWSON, S. et al. Current state and future trends: a citation network analysis of the learning analytics field. 2014, New York, New York, USA: ACM Press, 2014. p. 231–240. Disponível em: . Acesso em: 19 nov. 2018.
FERENHOF, H. A.; FERNANDES, R. F. DEMYSTIFYING THE LITERATURE REVIEW AS BASIS FOR SCIENTIFIC WRITING: SSF METHOD. Revista ACB, v. 21, n. 3, p. 550–563, 29 dez. 2016. Disponível em: . Acesso em: 6 nov. 2018.
FERNÁNDEZ, C. A. Gaming Learning Analytics for Serious Games. . [S.l: s.n.], 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2018.
GOGGINS, S. et al. Learning Analytics at “Small” Scale: Exploring a Complexity-Grounded Model for Assessment Automation. Journal of Universal Computer Science, v. 21, n. 1, p. 66–92, 2015. Disponível em: .
GOMES, M. J. PROBLEMÁTICAS DA AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO ONLINE. 2009, Braga: Universidade do Minho, 2009. p. 1675–1693. Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2018.
GOVINDARAJAN, K. et al. Continuous clustering in big data learning analytics. 2013, [S.l: s.n.], 2013. p. 61–64.
HAYDT, R. C. Avaliação do processo ensino-aprendizagem. 6a ed. São Paulo: Editora Ática, 2008.
HIGGINS, J. P. T.; GREEN, S. (Org.). Cochrane Handbook for Systematic Reviews of Interventions - Version 5.1.0.
HOFFMANN, J. Avaliação Mediadora: uma prática em construção da pré-escola à Universidade. 8a ed. Porto Alegre: Mediação, 1993.
LONG, P.; SIEMENS, G. Penetrating the Fog: Analytics in Learning and Education. . [S.l: s.n.], 2011. Disponível em: . Acesso em: 13 nov. 2018.
MCKIMM, J.; JOLLIE, C.; CANTILLON, P. ABC of learning and teaching: Web based learning. BMJ (Clinical research ed.), v. 326, n. 7394, p. 870–3, 19 abr. 2003. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2019.
OGUNTIMILEHIN A; ADEMOLA EO. A Review of Big Data Management, Benefits and Challenges. Journal of Emerging Trends in Computing and Information Sciences, v. 5, n. 6, 2014. Disponível em: . Acesso em: 13 nov. 2018.
OLIVEIRA, M. C. O uso de tecnologias digitais para uma avaliação formativa reguladora e autorreguladora em um curso de Licenciatura em Matemática a distância. 2015, Juiz de Fora: Universidade Federal de Juiz de Fora, 2015. p. 1–9. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2019.
OLIVER, R.; HERRINGTON, J. Exploring Technology-Mediated Learning from a Pedagogical Perspective. Interactive Learning Environments, v. 11, n. 2, p. 111–126, 9 ago. 2003. Disponível em: . Acesso em: 14 mar. 2019.
OTSUKA, J. L.; ROCHA, H. V. da. Avaliação formativa em ambientes de EaD. Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação - SBIE), v. 1, n. 1, p. 146–156, 1 jan. 2002. Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2018.
RODRIGUES, E. F. A Avaliação e a Tecnologia. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. de M. (Org.). . Ensino Híbrido Pers. e Tecnol. na Educ. Porto Alegre: Penso, 2015. p. 123–137.
SANMARTÍ, N. Avaliar para aprender. Porto Alegre: Artmed, 2009.
SAQR, M.; FORS, U.; TEDRE, M. How learning analytics can early predict under-achieving students in a blended medical education course. Medical Teacher, v. 39, n. 7, p. 757–767, 2017.
SOARES, P. B. et al. Análise bibliométrica da produção científica brasileira sobre Tecnologia de Construção e Edificações na base de dados Web of Science. Ambiente Construído, v. 16, n. 1, p. 175–185, jan. 2016. Disponível em: . Acesso em: 7 nov. 2018.
TARAS, M. ASSESSMENT – SUMMATIVE AND FORMATIVE – SOME THEORETICAL REFLECTIONS. British Journal of Educational Studies, v. 53, n. 4, p. 466–478, dez. 2005. Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2018.
TEMPELAAR, D. T. et al. Formative Assessment and Learning Analytics. 2013, Maastricht University, School of Business and Economics, Tongersestraat 53, 6211 LM Maastricht, Netherlands: [s.n.], 2013. p. 205–209. Disponível em: .
TEMPELAAR, D. T.; RIENTIES, B.; GIESBERS, B. In search for the most informative data for feedback generation: Learning analytics in a data-rich context. Computers in Human Behavior, v. 47, p. 157–167, 2015.
TIMMERS, C. F.; WALRAVEN, A.; VELDKAMP, B. P. The effect of regulation feedback in a computer-based formative assessment on information problem solving. Computers and Education, v. 87, p. 1–9, 2015.
VATRAPU, R. et al. Towards visual analytics for teachers’ dynamic diagnostic pedagogical decision-making. 2011, [S.l: s.n.], 2011. p. 93. Disponível em: .
WAHEED, H. et al. A bibliometric perspective of learning analytics research landscape. Behaviour & Information Technology, v. 37, n. 10–11, p. 941–957, 2 nov. 2018. Disponível em: . Acesso em: 7 jan. 2019.
WILLIAMS, P. Squaring the circle: A new alternative to alternative-assessment. Teaching in Higher Education, v. 19, n. 5, p. 565–577, 2014.
Publicado
2019-08-16