Desenvolvimento de Modelo de Referência para a Criação de Jogos Remotos Educacionais e sua Aplicação Piloto no Projeto Steamlog

  • Thiago Schaedler Uhlmann PUCPR - Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  • Henrique Duarte Lima PUCPR - Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  • André Luiz Luppi PUCPR - Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  • Mateus Isaac Di Domenico PUCPR - Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  • Luciano Antonio Mendes PUCPR - Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Palavras-chave: Jogos Remotos, Modelos de Referência, Aprendizagem Baseada em Jogos, Ensino de Pesquisa Operacional

Resumo

A crescente utilização de laboratórios remotos, ou weblabs, como recurso pedagógico em cursos de engenharia, tem impulsionado a exploração de novas formas de aplicação. Este artigo descreve o estágio corrente do desenvolvimento de um modelo de referência para a combinação desse recurso com a Aprendizagem Baseada em Jogos, na forma de Jogos Remotos. O modelo para jogos remotos , ainda um work-in-progress, resulta dos progressos havidos a partir de estudos precedentes, absorvendo características de um modelo genérico para weblabs e conceitos relacionados com Design de Jogos. O modelo vale-se de taxonomias de aprendizagem e está estruturado em três macrofases: definição de requisitos, ciclos iterativos de desenvolvimento, integração e conclusão. Como caso de aplicação, tem-se um jogo remoto para uso no ensino de pesquisa operacional e logística em torno do modal ferroviário, onde o desempenho dos estudantes dependerá do domínio de temas como Fluxo de Custo Mínimo e Problema do Caixeiro Viajante. À distância e por meio de interfaces web com recepção de vídeo em tempo real do cenário físico, duas equipes programam as operações transporte e movimentação automatizada de estoques em armazéns de cargas entre nós ofertantes e demandantes, segundo os objetivos e regras definidos pelo professor responsável. A integração dos elementos locais do tabuleiro com a interface remota é feita por meio da arquitetura ISA e extensão ELSA-SP. A experiência com a aplicação-piloto no desenvolvimento do jogo remoto cooperativo Steamlog permitiu aumentar o grau de elaboração das prescrições do modelo, posicionando adequadamente nas etapas elementos relevantes que devem ser observados ao longo de um processo de desenvolvimento.

Referências

ALVES, G. R. C. et al. Laboratórios remotos no ensino de engenharia. In: OLIVEIRA, V. F. O., TONINI, A. M. e SANTOS, S. R. (org.) Desafios da Educação em Engenharia: Formação Acadêmica e Atuação Profissional, Práticas Pedagógicas e Laboratórios Remotos. Brasília: ABENGE, 2017.

BLOOM, B. S. et al. Taxonomy of educational objectives. New York: David Mckay, 1956. 262 p. (v. 1)

BODNAR, C. et al. Engineers at play: games as teaching tools for undergraduate engineering students. Journal of Engineering Education 105, 147-200, 2016.

CARLOS, L. M.; SILVA, J. B., ALVES, J. B. M. e FERENHOF, H. A. Um olhar sob a interatividade em laboratórios online. Revista Tecnologias na Educação, ano 10, v. 24, Edição Especial para o II Simpósio Ibero-Americano de Tecnologias Educacionais, 2018.

FERRAZ, A. P. C. M.; BELHOT, R.V. Taxonomia de Bloom: revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para definição de objetivos instrucionais. Gestão & Produção. São Carlos; v. 17, n. 2, p. 421-431, 2010.

FINK, L.D. A Self-Directed Guide to Designing Courses for Significant Learning. San Francisco: Jossey-Bass, 2003.

FU, F., SU, R. e YU, S. EGameFlow: A scale to measure learners´ enjoyment of e-learning games. Computers & Education 52, 2009, p. 101-112.

GUSTAVSSON, I., ALVES, G., COSTA, R., NILSSON, K., ZACKRISSON, J., HERNANDEZ-JAYO, U. e GARCIA-ZUBIA, J. The VISIR Open Lab Platform 5.0 – an architecture for a Federation of remote laboratories. REV 2011 Proceedings. 2011.

HARWARD, V. J. et al. The iLab Shared Architecture: A Web Services Infrastructure to Build Communities of Internet Accessible Laboratories. Proceedings of the IEEE, v. 17, i. 6, 2008.

HILLIER, F. S. e LIEBERMAN, G. J. Introdução à pesquisa operacional. Porto Alegre: AMGH, 2013.

ITURRATE, I. et al. A Mobile Robot Platform for Open Learning based on Serious Games and Remote Laboratories. 1st International Conference of the Portuguese Society for Engineering Education (CISPEE). 2013.

JÄRVINEN, A. Games without frontiers. Doctoral dissertation study for Media Culture. Finlândia: University of Tampere, 2008.

KIILI, K., FREITAS, S., ARNAB, S. e LAINEMA, T. The Design Principles for Flow Experience in Educational Games. Procedia Computer Science 15, 2012, p 78-91.

AUTOR, 2010.

PRESSMAN, R.S.; MAXIM, B.R. Engenharia de Software: uma abordagem profissional. Porto Alegre: Bookman, 2016.

SCHELL, J. A Arte de Game Design: o livro original. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

AUTOR, 2017.
Publicado
2019-08-16